Projeto “Terça da Dança” promove a diversidade na arte

A Prefeitura, por meio da Fundação Municipal de Cultura, realiza, no Teatro Marília (avenida Prof. Alfredo Balena, 586), o projeto Terça da Dança que, em setembro, aborda a diversidade e outros aspectos culturais da dança e da performance. O projeto tem como proposta oferecer uma programação continuada, com artistas independentes e grupos profissionais da dança, apresentando, neste mês, debate performático, espetáculos e bate-papo. Toda a programação é gratuita e acontece sempre às terças-feiras, às 19h. Os ingressos serão distribuídos uma hora antes das atrações.

Na próxima terça-feira, dia 3 de setembro, acontece o debate performático do Programa Intensivo de Investigação e Montagem (PIIM) “Juntas e Diversas” sobre educação em arte dentro de um processo coletivo colaborativo. Os jovens participantes do programa têm a diversidade dos corpos e a convivência como temas e falarão sobre a experiência no programa. Durante a noite, algumas performances também serão apresentadas.

As aulas do programa foram iniciadas no dia 1º de agosto, no Centro de Referência da Juventude (CRJ), onde os selecionados trabalham com grandes nomes das artes do corpo e performance, como Ana Luisa Santos, Ana Virginia Guimarães, Dorothe Depeauw, Dudude Hermann, Marco Paulo Rolla, Margo Assis, Thembi Rosa e Zaika dos Santos. Com inscritos entre 17 e 25 anos, de 30 diferentes bairros da grande Belo Horizonte e outras cidades, o Programa objetiva democratizar o acesso à dança, superando as diferenças por meio da arte e dos afetos e superando a visão elitista da dança.Visa ainda fugir da padronização dos corpos das dançarinas e dançarinos.

Em 10 de setembro o grupo Humaitá, projeto de estudo das tradições populares brasileiras, apresenta o resultado de suas vivências e de seu laboratório experimental em formato percussivo, acompanhado de dança e de performance. Transitando entre o contemporâneo e o ancestral, reverência fontes e matrizes das manifestações viajando através de terreiros, cirandas, cocos de roda, maracatus e bumba bois.

Já na terça-feira,17 de setembro, o “Vogue em debates” acontece com as presenças da House’s of Avalanx, das Barracudas e da Puzzle, com mediação de Guilherme Morais. O encontro discutirá a cultura do Vogue, desde a sua origem na periferia preta LGBTQI+ norte americana até o Brasil e suas questões atuais, incluindo o cenário vogue em Belo Horizonte.

E na última terça-feira do mês, dia 24 de setembro, Renata Mara apresenta a performance “Sonhos Invisíveis”. A partir da coletânea sonora de sonhos de pessoas com deficiência visual, a obra dá visibilidade a particularidades do mundo de pessoas cegas ou com baixa visão. A artista Renata Mara é também docente, pesquisadora e psicóloga com baixa visão. Professora certificada do método “DanceAbility” pela DanceAbility International Foundation, é referência em práticas e estudos ligados a arte, educação, inclusão e acessibilidade no Brasil. Mais informações para o público pelo telefone (31) 3277-6319.

Programação do projeto Terça da Dança – Setembro

Dia 3, terça-feira, às 19h

  • Debate Performático Piim “Juntas e Diversas” – Programa Intensivo de Investigação e Montagem

O PIIM – Programa Intensivo de Investigação e Montagem é um projeto que acontece Centro de Referência da Juventude (CRJ) até 30 de novembro, com a participação de jovens entre 17 e 25 anos, de vários bairros da grande BH e outras cidades.

  • “Juntas e Diversas”

Criação e interpretação das alunas e alunos: Aline Alexandra Rafael, Amanda Arruda, Clarelis de Araújo, Clarisse de Araújo, Delaney Junior, Erik Gabriel, Gabriela Luiza de Souza, Gabriel Esteves, Gustavo Baptista Canteiro, Isadora Brandão, Izabela Fernandes, Larissa Pimenta, Leonardo Molina, Maira Paula Gil, Pedro Augusto dos Anjos, Roberta Silvestre, Robredo Correa de Magalhães, e Tiago Alves da Silva.

Direção e coordenação geral: Guilherme de Morais.

Dia 10, terça-feira, às 19h

  • Humaitá – Cultura Popular + Coletivo Wontanara – Ritmos e Danças do Oeste Africano

Com repertório autoral e intervenções de dança e texto, o grupo Humaitá é um projeto de estudo das tradições populares brasileiras através de suas histórias, mitologias e, principalmente, musicalidade. A partir da pesquisa de folguedos forjados na diversidade cultural do território brasileiro, o grupo apresenta o resultado de suas vivências e de seu laboratório experimental em formato percussivo acompanhado de dança e performance. Transitando entre o contemporâneo e o ancestral, reverência fontes e matrizes destas manifestações viajando através de terreiros, cirandas, cocos de roda, maracatus e bumba bois dentre outras brincadeiras, como forma de reconhecer saberes, valores e a importância do respeito à diversidade.

Dia 17, terça-feira, às 19h

BH Capital do Vogue – “Vogue em debates” com as houses Avalanx, Barracudas e Puzzle, e mediação de Guilherme Morais

Os braços traçam linhas retas, enquanto os punhos giram no próprio eixo com a mesma rapidez com que os quadris vão de um lado para o outro em deslocamentos que remetem, ao mesmo tempo, à leveza de uma garça e à rapidez de um ninja. Chamam atenção pela plasticidade e dificuldade, mas os movimentos que conquistaram Madonna, nos anos 1990, são mais que uma dança. Em Belo Horizonte transformou-se em espaço de expressão e empoderamento de mulheres, homens, gays e transexuais. O vogue é uma dança de autoafirmação, criada por pessoas que eram excluídas da sociedade e que chega para dar lugar a elas.

Dia 24, terça-feira, às 19h

Sonhos Invisíveis – Renata Mara

Sonhos invisíveis é uma performance de dança baseada em biografias marcadas pelo sensível do invisível. A partir da coletânea sonora de sonhos de pessoas com deficiência visual, a obra dá visibilidade a particularidades do mundo de pessoas cegas ou com baixa visão. Na performance, um corpo de mulher com baixa visão se move no espaço, manuseando os objetos de cena num gesto peculiar de revelar, esconder e construir uma escrita em braile.

Faça um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Horti Mix

Sicoob